Waldemar Borges cada vez mais longe da prefeitura de Gravatá


O sonho de se tornar o próximo prefeito de Gravatá está se tornando cada vez mais difícil para o deputado Waldemar Borges (PSB). Isso porque, o deputado tem em mãos várias pesquisas feitas na cidade nas quais ele aparece com índices baixíssimos de popularidade. Em uma das últimas pesquisas, Waldemar Borges aparece com 3% das intenções de votos contra 14% do atual prefeito Bruno Martiniano e contra 57% do ex-prefeito Joaquim Neto que lidera com folga todas as pesquisas feitas pelo deputado. Além disso, o deputado ainda poderá disputar votos com Fernando Resende, Rafael Prequé, Junior Darita e Manuel da Saúde.

Investimento

Outro fator importante que pode tirar Borges da disputa é o investimento altíssimo que o grupo dele terá que fazer na cidade para tentar elege-lo. Com quase R$ 2,5 bilhões de reais a menos nos cofres do governo do estado em 2016, a Frente Popular de Pernambuco filtrará ao máximo as cidades em que o PSB irá focar, sabe-se apenas que só o projeto de reeleição do prefeito do Recife Geraldo Júlio está mantido. A Frente Popular não irá fazer grandes investimentos em cidades que as eleições já estão praticamente definidas ou polarizadas entre dois ou três candidatos como é o caso de Gravatá.

Grupo

Outro fator importante que Waldemar ainda não conseguiu criar foi um grupo. O deputado ao lado do ex-prefeito Ozano Brito estão em uma verdadeira peregrinação em busca de aliados para criar um grupo forte para disputar a prefeitura, porém, a maioria das portas estão se fechando para Waldemar. Ele precisará unir um grupo forte e de expressão para tentar colocar seu nome em ascensão, já que o deputado ainda é pouco conhecido na cidade.

Reeleição de Paulo Câmara

Com uma rejeição já em alta, o Governador de Pernambuco Paulo Câmara também pode frear Waldemar Borges de ser candidato em Gravatá para não comprar briga direta com Bruno Martiniano e Joaquim Neto, principais candidatos da cidade que podem romper com Câmara e atrapalhar os seus planos de reeleição. Joaquim e Bruno são “donos” hoje de mais de 70% dos votos de Gravatá, o que implica diretamente nos planos de Paulo para 2018.

PSB rachado na cidade

Mais um fator importante que vai contra aos planos de Waldemar Borges é o fato do seu partido o PSB está completamente rachado na cidade com Rafael Prequé e Fernando Resende também querendo entrar na disputa pela prefeitura. Sabe-se apenas que para ser o candidato do partido, Waldemar Borges terá que passar por cima de Rafael e/ou Resende dois socialistas históricos na cidade e com vasta expressão política. Caso isso aconteça, Rafael será candidato pelo PSD e Resende pelo PR e juntos levarão praticamente todo grupo que hoje pertence ao PSB.

Por estes e por outros diversos fatores, a candidatura de Waldemar em Gravatá vai se tornando cada vez mais inviável, além disso o deputado só tem uma semana para transferir seu domicilio eleitoral para Gravatá, coisa que já devia ter sido feita se realmente existisse as chances da campanha dele ser vitoriosa.

 


Like it? Share with your friends!

What's Your Reaction?

bravo bravo
0
bravo
confuso confuso
0
confuso
falhou falhou
0
falhou
divertido divertido
0
divertido
nerd nerd
0
nerd
amei amei
0
amei
aff aff
0
aff
top top
0
top
hate hate
0
hate
lol lol
0
lol
gravatahoje

0 Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: