Resolvi comprar alguns temperos na fera livre e
me deparei com uma personagem cheia de vida e simplicidade.
O cheiro de humildade se espalhou pelo ar e,enlevado, comprei
até mais do que pretendia e acabo de me deliciar com as iguarias.
O aroma da comida mudou aqui em casa.
Minha esposa se surpreendeu com tal perfume.
Sem contar os sabores inesperados ao paladar.
Esse sentimento de de cidade bucólica de Gravatá é apaixonante.
Não por acaso, os turistas invadem-na.
E olha que a administração nem tá lá essas coisas.
(mas isto é assunto para outra matéria)
Voltemos às compras dos ingredientes “mágicos”: Noz-moscada,
açafrão que,segunda ela,é melhor que colorau por não ter química adicional,
pimenta do reino branca em grãos,pimenta do reino preta em grãos,
pimenta calabresa,tempero baiano(uma mistura de vários temperos) e de
lambuja, a senhora da barraquinha me deu,louro em pó.
Gosto de cozinhar e logo me animei.
Separei cada um em seu respectivo potinho e… Magnifique.
Não sou nenhum chefe,mas dou meus pulos pilotando meu fogão.
Disponibilizei algumas pitadas aqui e outras mais generosas ali
e a felicidade de perceber que estava dando certo me fez salivar… me apetece.
Ok.
Tudo pronto.
Prato à mesa.
Um fio de azeite e,como dizem os franceses, Voilá!
O jantar está servido.
Delícia.

Comentários no Facebook