Uma possível polarização das candidaturas de Bruno Martiniano e Joaquim Neto na disputa pela prefeitura de Gravatá em 2016 está movimentando os bastidores dos grupos de Waldemar Borges, Rafael Prequé, Ozano Brito e Fernando Resende. Os planos de cada um desses nomes era lançar candidatura própria, porém, a falta de um nome forte entre eles capaz de derrotar Bruno ou Joaquim vem mudando os planos dos prefeituraveis. Consciente deste cenário, o deputado Waldemar Borges está arregaçando as mangas e tentando unir todos esses nomes em uma única chapa, para assim ter forças suficientes para disputar a prefeitura de igual para igual com Bruno e JN.

Recentemente o deputado esteve reunido com parte do grupo do vice-prefeito Rafael Prequé e o tom da conversa, segundo informações, foi a junção de todo o grupo em uma única chapa, tento Rafael ou Ozano como vice e Waldemar Borges como prefeito. Já o vereador Fernando Resende voltaria a concorrer como vereador tornando-se cabo eleitoral e mais um articulador nos bastidores da campanha de Waldemar.

Joaquim Neto x Bruno Martiniano

Com a candidatura praticamente assegurada segundo seu grupo político, o ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB) terá chances reais de se tornar prefeito mais uma vez. A rejeição de Bruno Martiniano (SEM PARTIDO) seu principal concorrente, vem sendo uma das armas mais usadas para desarticular o grupo do atual gestor que disputará a reeleição. Por outro lado, mesmo com a rejeição, o prefeito Bruno com a máquina pública na mão será um potencial forte candidato.

Este cenário aguçou Waldemar Borges que acendeu o alerta de que sozinho não é capaz de logra êxito em sua caminhada até a prefeitura. “Muita água ainda vai passar em baixo dessa ponte”, ainda é cedo para definir os rumos da eleição do próximo ano, porém qualquer que seja os planos de Waldemar Borges, Ozano Brito, Rafael Prequé e Fernando Resende uma estratégia terá que ser montada para desbancar os milhares de votos que Joaquim e Bruno têm hoje.

Comentários no Facebook