Teve origem em Gravatá-PE, na última Sexta-feira (21), a Comissão de Combate à Corrupção. Formada com o intuito de acompanhar como está sendo gasto o dinheiro público na cidade, a mesma também visa cobrar celeridade na apuração de denúncias que pesam contra a gestão do prefeito Bruno Martiniano.

O movimento que tem o empresário João Machado como líder,  reúne os seguintes pré-candidatos à prefeitura de Gravatá: Júnior Darita, Rafael Prequé e Manoel da Saúde. Os vereadores Júnior de Obras (PPS), Sônia Souza (PP) e Luiz Prequé (PSB), todos da bancada de oposição, também integram o grupo, além do advogado Heverton Lopes,   Marivan Melo, o radialista Jota Silva e o ex-deputado Edgar Moury.

A Comissão de Combate à Corrupção se originou durante a polêmica entrevista de Edgar Moury, no Programa Jota Silva, pela Rádio Gravatá FM (92,3 MHz). Na ocasião, o ex-parlamentar que hoje é assessor do Governador Paulo Câmara, fez graves acusações contra o prefeito Bruno Martiniano. Edgar ainda deixou um dossiê com João Machado, que segundo o mesmo, é composto de inúmeros indícios de irregularidades na prefeitura de Gravatá.

 Foto: Ismael Alves

Comentários no Facebook