A iniciativa da Prefeitura, em parceria com o IPA, garantiu a distribuição de sementes de milho e feijão para as famílias beneficiadas

A Prefeitura de Gravatá, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, em parceria com o Instituto Agrônomo de Pernambuco (IPA), ligado à Secretaria estadual de Reforma Agrária (SARA), beneficiou agricultores da zona rural onde a produção agrícola é a principal fonte de renda. Ao todo, 189 hectares de terra recebeu a aração para o plantio.

A ação beneficiou moradores dos seguintes sítios: Caroá, Nicácio, Telha Branca, além dos assentamentos Santo Antônio, Pau D’arco e Manacá, Valentim, Nossa Senhora das Graças, Vale da Boa Esperança, Paulo Freire e o distrito de Avencas. Com o trabalho, 220 famílias foram beneficiadas com o corte da terra, por meio do Programa Terra Pronta, e 435 famílias receberam as sementes do Programa Distribuição de Sementes que, em Gravatá, distribuiu 1,3 mil toneladas de sementes de milho e 1,5 toneladas de sementes de feijão.

O interventor de Gravatá, Mário Cavalcanti, destacou o empenho da Prefeitura de Gravatá para firmar parcerias com o Governo do Estado e, assim, trazer convênios e programas que beneficiam os produtores rurais. “Nós contamos sempre com o apoio da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária do Estado. A sensibilização do secretário, Nilton Mota, garantiu o apoio aos agricultores de Gravatá. Fomos contemplados com máquinas para recuperação de estradas, construção de barragens e melhoria no abastecimento de água, na zona rural. Por meio do programa Terra Pronta e Distribuição de Sementes conseguimos, inclusive, os tratores para cortar a terra dos produtores. Na distribuição de sementes de milho e feijão mulatinho garantimos uma boa safra para todos”, enfatizou.

Os trabalhos de preparação da terra para a plantação foram divididos da seguinte forma: Assentamento Santo Antônio, 26 famílias, tiveram 21,5 hectares; Sítio Caroá, 7 famílias, com 7 hectares; Sítio Nicácio, 37 famílias, com 30,5 hectares; Sítio Telha Branca, 21 famílias, com 20 hectares; Nos assentamentos Pau D’Arco e Manacá, 14 famílias, tiveram 11,5 hectares; Valentim, 14 famílias, com 11 hectares; Nossa Senhora das Graças, 27 famílias, com 20 hectares; Vale da Boa Esperança, 13 famílias, com 12 hectares; Paulo Freire, 18 famílias, 16,5 hectares; no distrito de Avencas, 43 famílias, tiveram 39 hectares de terra arada.

Comentários no Facebook