A relação de confiança entre o prefeito Bruno Martiniano (PTB) e o  vereador Fernando Resende (PSB), aliados até pouco tempo atrás, deu lugar ao clima hostil e apático que predomina entre os dois. Fernando Resende, que atuou como secretário municipal de turismo entre Janeiro de 2013 a Outubro de 2014, em plena gestão de Bruno Martiniano, foi protagonizador de mais um capítulo dessa desavença, durante entrevista ao radialista Jota Silva, na manhã de hoje, pela Rádio Gravatá FM (92,3 MHz).

A participação do parlamentar no programa de rádio foi apenas uma das reações provocadas pelo prefeito Bruno Martiniano, durante entrevista na última Sexta-feira. De acordo com o petebista, Resende havia deixado uma dívida de quase um milhão e meio na secretaria de Turismo. Bruno ainda destacou que as supostas dívidas sequer haviam sido empenhadas. Fora isso, o dinheiro captado por empresas patrocinadoras do São João 2014  havia tomado destino ignorado.

Diante dos “torpedos” lançadas por Bruno Martiniano, Fernando Resende resolveu não ficar inerte. Através de ofício, emitido pelo seu gabinete, requereu direito de resposta. E usando o mesmo microfone, no mesmo programa, na mesma radioemissora disparou uma série de ataques contra Bruno Martiniano. Antes amigos, hoje adversários que conhecem o ponto fraco um do outro.

Resende iniciou sua entrevista desmentindo as afirmações feitas pelo prefeito, na entrevista de Sexta-feira: “Bruno falou inverdades para a população.” Mais adiante o vereador colocou em “cheque” a capacidade do prefeito gerir a cidade: “Bruno pensa que está administrando a fazenda dele.”  Resende queria mesmo era minar a resistência do petebista: “A capacidade intelectual do prefeito é muito baixa. A gente saia das reuniões de secretários com vergonha.” Completou  ao relembrar o período que conduziu as secretarias de Turismo e Governo.

De posse de números o vereador falou sobre o polêmico caso das verbas adquiridas com empresas privadas para o São João 2014. Em sua entrevista, Bruno Martiniano havia questionado o paradeiro de tais recursos. Segundo Resende a Prefeitura de Gravatá captou 490 mil em patrocínio para o São João do ano passado, através das seguintes empresas: Ambev, Bradesco e Sonho de Valsa. Mas Resende afirma que esse valor foi direcionado para a empresa Aliança Comunicação, que deve prestar contas ao município. Resende ainda ressaltou que conheceu o empresário da Aliança por intermediário de Bruno Martiniano.

Ainda sobre valores o vereador desmentiu que as dívidas deixadas por sua secretaria não tivessem sido empenhadas. “Os fornecedores do São João não receberam. 900 Mil empenhados e ele (Bruno) não pagou a ninguém.” Resende ainda citou o desempenho da Secretaria de Turismo no período em que esteve a frente da mesma: “Valorizamos os artistas de Gravatá e  fizemos festas organizadas.” Afirmou.

Aproveitando a oportunidade saiu em defesa do deputado estadual Waldemar Borges e do Secretário Estadual Sebastião Oliveiras. Ambos, foram criticados por Bruno Martiniano na Sexta-feira. Para Fernando Resende, o problema está em Bruno Martiniano. Para justificar sua colocação, deu exemplos de ex-aliados do prefeito: “Será que todo mundo está errado? O Governador, o senador, os deputados e 80% da população? Essa é a rejeição dele, 80%. Ele não demitiu nenhum secretário. Todos pediram demissão.” Completou.

Para finalizar Resende também fez alusão ao possível ritmo de inoperabilidade que paira sobre a administração do petebista, afirmando que recursos do FEM 2 chegaram aos cofres do município em 2014 e até agora, as 12 ruas que o prefeito prometeu pavimentar no bairro do Caic, estão esperando por essas obras. Questionado pelo radialista sobre a existência de cargos de sua indicação na prefeitura, Resende respondeu em tom firme: “Se tenho cargo na prefeitura não é por incompetência minha. As pessoas que a gente colocou foi para trabalhar.”

Pelo visto, parece que a harmonia que havia entre as duas lideranças ficou mesmo deixada no passado. Agora Fernando Resende tece planos para 2016. Uma coisa é certa: Próximo ano os dois estarão caminhando pelas mesmas ruas, porém, ao contrário de 2012, estarão disputando o mesmo voto.

Ismael Alves

Comentários no Facebook