No Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais, esta quarta-feira (24) de abril, a importância de ações voltadas para a inclusão social de pessoas surdas é reafirmada pela Prefeitura de Gravatá, através de iniciativas que buscam diminuir as barreiras da comunicação de quem não pode ouvir.
A prefeitura já ofereceu diversos cursos de libras gratuitos no município. O projeto é uma iniciativa das Secretarias de Saúde e Educação junto com o Núcleo de Atendimento e Educação Especializada – (NAEE).
O primeiro curso teve início no mês de maio de 2018 e contou com três turmas formadas por pais, professores e funcionários das escolas da rede municipal de ensino.
As formações são para beneficiar, principalmente, a comunidade surda gravataense para que haja a efetiva inclusão desta ao possibilitar que os ouvintes que fazem parte do convívio dos surdos, possam também aprender a língua de sinais.
As línguas de sinais são as línguas naturais das comunidades surdas em todo o mundo. E para isso, a participação dos Agentes Comunitários de Saúde – (ACS) de Gravatá, que tiveram as aulas iniciadas no dia 23 de janeiro de 2019, foi essencial para facilitar a comunicação com os deficientes auditivos nos atendimentos domiciliares.
A ação ganhou destaque na região e já foi tema de reportagem na TV Asa Branca que destacou as ações do município, que vêm proporcionando a inclusão social para todos.
O sucesso foi tão grande, que a procura pelas aulas vêm aumentando. Por essa razão, a prefeitura deu início às aulas da terceira turma do curso básico de Libras, na Escola Municipal Amenayde Farias, no dia 23 março, que contou com pouco mais de 50 alunos inscritos.
Em breve, novas turmas serão formadas para a realização do curso intermediário de Libras.
Libras:
A Libras foi reconhecida como a segunda língua oficial do Brasil pela lei Nº 10.436, de 24 de abril de 2002, ela reconhece como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras e outros recursos de expressão a ela associados, é uma língua de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.

Gravatá Hoje

Comentários no Facebook