O ex-prefeito de Gravatá Joaquim Neto (PSDB) participou na manhã desta sexta (24) do programa A Hora da Verdade do radialista Gilvan Vieira, veiculado pela rádio Nova FM 106.7, fazendo duras críticas e cobranças ao governo do atual prefeito Bruno Martiniano. E alertando a população sobre a situação atual da política Gravataense. Um dos temas abordados foi a coleta de Lixo da cidade que, segundo ele, deixou de ser feita por irresponsabilidade da prefeitura. Joaquim teceu duras críticas ao ex-prefeito Ozano Brito, afirmando que ele seria um dos grandes responsáveis pelo caos administrativo que a cidade sofre hoje.

Situação política atual:

Joaquim foi enfático ao alertar a população sobre a situação política atual da cidade. Afirmou que o mesmo grupo que elegeu Bruno Martiniano está se reunindo e espalhando pela cidade que fazem parte da renovação e da mudança, porém, são os mesmo que elegeram Bruno para ser a grande mudança. Ele ainda pediu para a população ficar com o “alerta” ligado e repudiar os aproveitadores que criticam a gestão do prefeito e dos vereadores durante o dia e a noite se reúnem as escondidas.

Abastecimento de água:

Ao falar sobre a crise de abastecimento de água na cidade, Joaquim reafirmou o seu compromisso com a causa relatando seu empenho desde a ida à Brasília até a sua interação com o governo do estado, apresentando projeto de trazer água da barragem de Amaraji que solucionaria de vez o abastecimento de água na cidade.

Saúde:

JN falou que irá ao Ministério Público e secretaria de Saúde do estado para pressionar a prefeitura de Gravatá a inaugurar a UPA – Unidade de Pronto Atendimento que está pronta e abandonada há vários meses. Segundo ele, a UPA se tornou em um elefante branco, enquanto isso a população da cidade sofre com a falta de um atendimento médico digno. Durante a entrevista, alguns pacientes de hemodiálise estiveram na rádio para falar que não estão conseguindo realizar o tratamento por que a prefeitura está devendo 3 meses de salário aos motoristas do TFD.

Infraestrutura:

Joaquim falou de conquistas do seu governo que até agora não saíram do papel ou os gestores perderam os prazos e o dinheiro para a execução das obras. Quando deixou o governo, JN deixou uma emenda aprovada de R$ 20 milhões de reais para a construção da Radial Leste, ligando o Bairro Novo, Caic, Boa Vista, Cohab 2 ao centro da cidade. Segundo ele o dinheiro foi devolvido ainda na gestão de Ozano quando o prefeito perdeu o prazo e o dinheiro para executar a obra. Falou da PE-87 que liga Gravatá a Uruçu, conquista do seu governo através do ex-senador e deputado Sergio Guerra que até agora não foi concluída, também por falta de gestão.

Também cobrou de Bruno Martiniano a execução da obra da PE que liga Gravatá a Passira, segundo o ex-prefeito essa obra foi um dos pilares da campanha de Bruno em 2012 e que até agora não saiu do papel.

Facção Criminosa na Prefeitura:

O tucano afirmou que existe uma facção criminosa na prefeitura de Gravatá, responsável por todo esse caos administrativo que a cidade enfrenta. Cidade esburacada, lixo, desemprego, construção civil parada, atraso de salários, falta de pagamento de fornecedores, contas bloqueadas, falta de crédito e muitos outros problemas, alinhados a mais de uma dezena de processos por corrupção que o prefeito da cidade enfrenta.

População de olho:

Para finalizar a entrevista, Joaquim pediu ao radialista Gilvan Vieira que convidasse a população, líderes comunitários, empresários, comerciantes, funcionários, professores, políticos, turistas e a toda Gravatá para uma roda de discursão sobre a atual situação da cidade para nortear ações de cobranças ao governo municipal, utilizando o Ministério Público para garantia dos direitos básicos da população.

Comentários no Facebook