O prefeito de Gravatá, Bruno Martiniano foi destaque do jornal Folha de Pernambuco em sua versão impressa deste final de semana. Em manchete o jornal esclarece alguns escândalos da gestão de Martiniano, entre eles, um possível enriquecimento ilícito do prefeito meses depois após assumir o cargo, além disso as denúncias mostram alguns bens adquiridos pelo prefeito durante sua gestão em nome de “laranjas”, bens estes que somados são incompatíveis com a renda do prefeito.

Segundo denúncias protocoladas ao Ministério Público e a Policia Federal, o prefeito de Gravatá contou com a ajuda do sogro, o senhor Paulo Roberto e do secretário municipal Marcus Tulius para adquirir bens em seus nomes e repassa-los ao prefeito através de procuração. Segundo denúncia, o sogro do prefeito comprou em dinheiro vivo 44 lotes de um terreno em Gravatá, em seguida assinou procuração publica dando todos os poderes sobre os lotes a Bruno Martiniano. Além disso, o gesto é investigado por receber um apartamento em Boa Viagem, comprado pelo secretário dele Marcus Tulius, e repassado para a esposa do prefeito, Paula Regina por meio de procuração.

O jornal ainda traz o andamento sobre a demolição do Pontilhão de Gravatá que era tombado como patrimônio estadual no fim do mês passado. Segundo a justiça e o IPHAN, o prefeito do município terá que reerguer o pontilhão com o material retirado do local. O município foi notificado da decisão e terá que apresentar projeto para o local no prazo de 90 dias.

Veja abaixo a reportagem completa:

brunom-folha

Comentários no Facebook