Os planos de reeleição do prefeito de Gravatá Bruno Martiniano (SEM PARTIDO) estão despencando por água abaixo nos últimos meses. Sua alta taxa de rejeição que beira os 70%, suas brigas com aliados importantes de campanha, incluído seu vice-prefeito, pelo seu jeito “mão de ferro” de administrar e pela crise governamental interna que enfrenta, a candidatura de Bruno a reeleição estaria praticamente inviável se as eleições fossem hoje. Sem contar os fortes adversários que o prefeito terá na disputa pela prefeitura no ano que vem.

Agora, o prefeito de Gravatá está sofrendo um isolamento, principalmente na mídia local. Segundo informações, Martiniano perdeu parte do apoio da sua fiel escudeira, a Rádio Gravatá FM, a única que vestia a camisa “vermelha” antes mesmo de Bruno ser prefeito. Com a baixa, o prefeito está procurando se esquivar e percorrer outros caminhos para manter o seu nome em evidência. Como ponto de fuga, o prefeito achou a Rádio Comunitária Clima FM e o programa Notícias da Clima, ancorado pelos radialistas Clebson Amsterdam e José Orlando, onde já participou de uma entrevista longa na última semana enfatizando feitos do seu governo.

Porém, o primeiro teste na nova “casa” parece não ter dado muito certo. A entrevista não repercutiu na cidade. A fala do gestor na rádio não acrescentou em nada no dia-dia da população, tudo continua na mesma, e mais uma vez Bruno perdeu a oportunidade de plantar a semente da esperança nos lares gravataenses.

Isolado, o prefeito deu a Neto da Banca e a Alex da Água a missão de intermediação com a população, ou seja, o “milagre” da reeleição de Bruno passa pelas mãos dos dois. Tarefa essa nada fácil de se concretizar.

Comentários no Facebook