Fontes seguras afirmam que a provisória do PDT de Gravatá já teria enviado oficio ao comando do partido na capital pernambucana informando sobre o afastamento de todos os seus membros caso o prefeito de Gravatá Bruno Martiniano fosse “aceito” no PDT para disputar as eleições do próximo ano. Recentemente o presidente do partido o deputado Guilherme Uchoa reuniu-se com Bruno para tratar de uma possível filiação em seu partido, porém não concretizou a filiação devido à resistência do partido em Gravatá e em Caruaru em nome do prefeito José Queiroz e do deputado Wolney Queiroz que também não querem Bruno no PDT e têm bastante influencia com Guilherme Uchoa.

Nem o vereador João Paulo nem o empresário Zeca da Charque se pronunciaram publicamente sobre o assunto, porém, pessoas ligadas ao grupo confidenciaram as informações ao nosso site.

Agora, restam menos de 27 dias para o prefeito correr atrás de um partido para disputar a reeleição, haja vista que a Lei Eleitoral só permite candidato com no mínimo um ano de filiação antes das próximas eleições, ou seja, Bruno Martiniano tem até o dia 30 deste mês para se filiar em um partido. PTB, PSB, PTdoB, PMDB e agora o PDT disseram não ao prefeito.

Comentários no Facebook